Header Ads

Sentoseensse conta detalhes do garimpo de quixaba em ritmo de cordel .


GARIMPO EM QUIXABA SENTO-SÉ  

Foi no sertão nordestino   
Onde a seca racha o chão 
Onde chuva é coisa rara
Onde a criança pede um pão 
Mas a fé ainda existe
E pra não ver o povo triste
Jesus Cristo pós a mão 

Na região da quixaba 
município de sento sé 
Numa serra logo em frente
Um caçador que andava a pé
Com o nome de galego
Desvendou esse segredo
Acredite se quiser

Atrás de alguma caça 
pra poder se alimentar 
Teve uma grande ideia
De ali escavacar
Foi ali que esse moço 
encontrou um pião roxo 
E começou a divulgar

Logo a população 
Ao saber desse minério
Partiram todos pra lá 
E virou um caso sério
Saiu na televisão 
E todo povo do sertão  
Foram ver este mistério

O chamado pião rocho 
tem nome de ametista 
É uma pedra preciosa
De uma raridade esquisita 
Mas lá tem com abundância 
Todos tão enchendo a pança
Só vendo é que acredita

Como já diz o ditado
Que Deus tarda mais não falta
Pois aí está a prova
Hoje a população é farta
Graça ao nosso criador
Meu Jesus nosso senhor
É que tudo gira em alta

Lá a pedra preciosa 
Se encontra na flor da terra
Outros tiram com 3 metros
Mas tudo em cima da serra
Com certa dificuldade 
Outros com facilidade
Mas o produto tá na terra 

É só não desanimar
Leve sua picareta
Sua pá sua enxada 
E também sua marreta
Mas vá com disposição
Que fraco não tira não 
Porque lá a coisa é preta

Já tem gente de irecê 
De jussara, do limpão 
Gente de jacobino
Urolandia e gavião 
Mas todos tem sua vez
Lá tem indiano e chinês 
Só não vi gente do Japão 

Tem gente do Pernambuco
São Paulo e ate de Góis
Tem Gente do Piauí
Maranhão Minas Gerais
É um subindo Outro descendo 
É o mistério acontecendo 
E o povo querendo mais

Veja Mais


Mas vai aqui meu aviso
Que não posso esquecer
Vá, mais leve um bom dinheiro 
Pra não se aborrecer
Pois tudo lá é dobrado
O preço é bem elevado
Só vc vendo pra crer

Lá a mineral da pequena
Lhe custa 5 reais
Um din din ou chup chup
Vc paga 2 reais
E mesmo assim vale a pena
Vc trabalha uma quinzena 
E reembolsa muito mais

Aqui vou finalizar
Deixando uma opinião 
Não deixe o seu emprego
Pra ir para a região 
Pois nunca deixe o certo 
A procura do incerto 
Pois não vale a pena não 

O pássaro nasceu pra voar
O veado pra correr
O peixe para nadar 
E o gordo pra comer
Lá a mão de obra é pesada
Se aguentar pegue a enxada
E vá la pra serra sofrer

Esse é Neto Eplanada
Que vos fala realidade
Estive lá só uma vez  
Mas ja me deixou saudade       
Espero voltar de novo  
E conviver com aquele povo
Naquela localidade

Lá tem menino homem e mulher
Pode ir você também
Leve todos cacarecos
E entre nesse vai e vem 
O que não falta é espaço
Deixo aqui o meu abraço 
E que todo se dê bem

Autor : NETO ESPLANADA
Tecnologia do Blogger.