Header Ads

Familiares de gestante reclamam de demora no atendimento antes do parto no HDM, mas unidade esclarece



A demora no atendimento e a falta de respostas no Hospital Dom Malan (HDM)/Imip, em Petrolina, deixaram os familiares da gestante Luzirene Gomes de Alencar aborrecidos. Eles procuraram a reportagem este Blog para denunciar o fato e afirmaram que a paciente está no local desde a quarta-feira (1º), quando chegou à unidade já com a bolsa estourada.

Segundo os familiares da gestante, ela não está sentindo dores, mas precisa fazer uma ultrassonografia, algo que o HDM não estaria querendo realizar. Os familiares alegam, ainda, que foram impedidos de ficar com Luzirene, pois a sala de triagem não seria apropriada. “Querem induzir o parto dela, sendo que há mais de 24 horas ela vem perdendo líquido”, relataram.

Em nota enviada pela assessoria, o HDM informou que “a paciente Luzirene Gomes de Alencar realizou a ultrassonografia hoje (2), por volta do meio dia, e o exame mostrou que mãe e bebê passam bem“.

Ainda na nota, “a equipe ginecológica/obstétrica ressalta que a indução do parto é a conduta médica correta para o caso, visto que a ruptura da bolsa amniótica não é indicação para cesárea. A unidade materno/infantil segue com a paciente o protocolo do serviço, que é orientado pelo Ministério da Saúde.”

O HDM nega que a pacientes esteja desassistida. “No momento, a paciente está sendo assistida pela equipe multiprofissional do Dom Malan e aguarda uma vaga na sala de parto”, finaliza.

Carlos Britto
Tecnologia do Blogger.